Escola de São Lourenço do Sul se mobiliza pela construção de um laboratório de Ciências

“Uma tampinha ajuda a educação, várias fazem a transformação”. É com este lema que os 310 alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Francisco Frömming, do interior de São Lourenço do Sul, estão engajados em uma causa: construir um laboratório moderno de Ciências. Para isso, os estudantes arrecadam tampinhas plásticas que serão vendidas para reciclagem.

— A ideia surgiu entre os professores nas férias escolares, no início do ano, e estamos recebendo bastante apoio de toda a comunidade escolar e externa — conta a diretora, Nóris Costa Ney, 51 anos.

Segundo ela, as tampinhas acumuladas serão vendidas a R$ 1,80 o quilo, mas ainda não se sabe a quantidade que já foi arrecadada. Além da ação sustentável, que envolve a comunidade, a Associação de Pais e Mestres (APM), professores e voluntários organizam rifas, festas e uma vaquinha online. Até agora, a vaquinha tem pouco mais de R$ 3,3 mil em doações — com objetivo de chegar a R$ 10 mil.

— Eu espero que o laboratório de Ciências nos proporcione uma forma de aprendizado bem mais interativa e emocionante. Estou com muita expectativa, acho que vai ser uma das melhores salas, pois, em vez de escrever, poderemos fazer experiências — afirma, animada, a aluna do sétimo ano Amanda Pagel Blank, 12 anos.

A técnica em telecomunicações e voluntária da iniciativa, Sabrina Silva, 40 anos, buscou patrocínios e empresas parceiras:

— Já recebemos peças em vidrarias doadas por empresas, um microscópio com câmera para reproduzir a imagem em computador, estufa de esterilização e secagem, projetor multimídia, projeto arquitetônico e também recursos financeiros para dar início à construção da sala.

O projeto do laboratório prevê a construção de uma sala de 52 metros quadrados em cima do refeitório. Por essa razão, todo valor arrecadado com as tampinhas e eventos será destinado para o pagamento da mão de obra. De acordo com a diretora, a escola ainda espera doações de materiais de construção.

A escola fica a cerca de 37 quilômetros da região central de São Lourenço do Sul. Segundo Nóris, a construção do laboratório pretende incentivar a pesquisa e aproximar da Ciência os alunos. Dos 310 estudantes, do pré ao nono ano, apenas um não depende de transporte escolar para chegar ao colégio.

— A escola atende 11 localidades do município. A maioria dos alunos é de famílias de agricultores e leva até uma hora e meia para chegar aqui. Ter o laboratório, que aguce a curiosidade e desenvolva outras habilidades, envolveu a todos. Por ser interior, há muita valorização da escola — conta a diretora.

O aluno Ivo Igansi Júnior, 13 anos, do sétimo ano, também está animado com o projeto:

— O laboratório proporcionará muitos aprendizados, com a utilização de equipamentos como o microscópio e experimentos científicos. Um lugar só para estudar Ciências vai ser demais!

Para contribuir com a construção do laboratório, você pode doar por meio da vaquinha online.

© 2019 por "Grupo SBC de Comunicações". Portal de Divulgação.

AREA DE ADM