Com recursos indeferidos, mapa do distanciamento controlado mantém maioria das regiões em vermelho n

O governo do Rio Grande do Sul divulgou o mapa definitivo da 36ª rodada do distanciamento controlado, nesta segunda-feira (11). Com o indeferimento de cinco pedidos de recursos, o estado mantém 95,8% da população gaúcha em bandeira vermelha.

Das 21 regiões Covid, 19 estão com alto risco epidemiológico. Apenas Ijuí e Santa Rosa ficaram na bandeira laranja. O mapa definitivo tem vigência de terça (12) até a próxima segunda-feira (18). Recursos indeferidos De acordo com o estado, entre os cinco recursos, dois foram protocolados por municípios e negados, porque o modelo de distanciamento controlado não tem previsão de bandeiras individuais diferenciadas, ou seja, que as prefeituras adotem bandeiras diferentes da sua região. Os pedidos seriam analisados somente se fossem para que os municípios pudessem ser enquadrados na Regra 0-0 (sem óbitos ou hospitalizações nos últimos 14 dias), que permite a adoção de protocolos da bandeira anterior para regiões em bandeira vermelha ou preta. As outras três solicitações foram feitas pelas associações regionais de Guaíba, Santo Ângelo e Passo Fundo, classificadas em bandeira vermelha, que pediam regressão para laranja. Para a recusa, o Gabinete de Crise levou em conta o aumento no número de hospitalizações de pacientes confirmados com Covid-19 e por síndrome respiratória aguda grave (SRAG), além de alto número de óbitos pelo coronavírus. Na análise técnica, o governo ainda ressalta que os municípios que fazem parte das regiões de Santo Ângelo e Passo Fundo podem adotar protocolos de bandeira laranja, pois aderiram ao sistema de cogestão do distanciamento controlado, o mesmo valendo para as demais 17 regiões em vermelho que estão na cogestão. As regiões de Guaíba e Uruguaiana, que não adotaram o modelo compartilhado, devem seguir os protocolos determinados pelo Estado. Mudanças em protocolos Deverão ser publicados no próximo decreto semanal de atualização das bandeiras vigentes e de eventuais ajustes no modelo, algumas mudanças em protocolos. O que muda Administração pública (serviços não essenciais)

  • Bandeira preta: em vez de permitir somente teleatendimento ou trabalho presencial restrito, passa a permitir 25% de trabalhadores (ou normativa municipal);

  • Bandeira vermelha: em vez de 25%, passa a permitir de 50% trabalhadores (ou normativa municipal);

  • Bandeira laranja: em vez de 50%, passa a permitir 75% de trabalhadores (ou normativa municipal);

  • Bandeira amarela: em vez de 50%, passa a permitir 100% de trabalhadores (ou normativa municipal).

Política e administração de trânsito

  • Bandeira preta: mantém limite de 75% de trabalhadores e acrescenta possibilidade de normativa municipal;

  • Bandeira vermelha: mantém limite de 75% de trabalhadores e acrescenta possibilidade de normativa municipal;

  • Bandeira laranja: mantém limite de 75% de trabalhadores e acrescenta possibilidade de normativa municipal;

  • Bandeira amarela: passa de limite de 75% para 100% dos trabalhadores e acrescenta possibilidade de normativa municipal.

Serviços delegados de habilitação de condutores

  • Bandeira amarela: em vez de 75%, passa a permitir 100% dos trabalhadores.

Comércio - foi alterado o limite de pessoas em relação à metragem de cada estabelecimento: Manutenção e reparação de veículos automotores (rua), atacadista – itens essenciais, varejista – itens essenciais (rua, centro comercial e shopping), varejista de produtos alimentícios (mercados, açougues, fruteiras, padarias e similares) e comércio de combustíveis para veículos automotores:

  • Bandeira preta – lotação (trabalhadores + clientes): 1 pessoa, com máscara, para cada 8m² de área útil de circulação, respeitando limite do PPCI;

  • Bandeira vermelha – lotação (trabalhadores + clientes): 1 pessoa, com máscara, para cada 6m² de área útil de circulação, respeitando limite do PPCI;

  • Bandeira laranja – lotação (trabalhadores + clientes): 1 pessoa, com máscara, para cada 4m² de área útil de circulação, respeitando limite do PPCI;

  • Bandeira amarela – lotação (trabalhadores + clientes): 1 pessoa, com máscara, para cada 2m² de área útil de circulação, respeitando limite do PPCI.

Até então, a limitação era dada por duas formas. A primeira, que se aplica a todo e qualquer estabelecimento, o atendimento ao Teto de Ocupação, que era de, no mínimo, 2m² por pessoa, em qualquer ambiente. O segundo limitador era feito pelo percentual de trabalhadores presenciais. No formato atual, se retirou a restrição única de trabalhadores, passando a um sistema único de teto de ocupação, envolvendo trabalhadores e público.


© 2019 por "Grupo SBC de Comunicações". Portal de Divulgação.

AREA DE ADM