Fórum Social Mundial da População Idosa inicia na segunda-feira


Começa nesta segunda-feira a 6ª edição do Fórum Social Mundial da População Idosa (FSMPI). A programação do evento será realizada de forma 100% virtual. Em comemoração aos 20 anos do Fórum Social Mundial, serão abordados seis eixos, cujo tema central será “um outro mundo é possível pós Covid-19”.

O Fórum terá uma programação principal, com palestrantes internacionais e nacionais. Os eixos abordados estão relacionados ao envelhecimento humano, cultura, educação, segurança, proteção e defesa dos direitos humanos pós-Covid-19. A programação paralela será anunciada em breve.

A Palestra Magna desta segunda-feira será proferida pelo médico gerontólogo Alexandre Kalache, criador do projeto Cidades Amiga do Idoso, das 17h às 18h. Atualmente, ele é presidente do Centro Internacional da Longevidade - Brasil (International Longevity Center), vinculado ao Centro de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento (CEPE), filial do Instituto Vital Brasil (IVB).


Um dos coordenadores do FSMPI, Lélio Falcão, afirmou que o envelhecimento populacional é uma realidade para a sociedade brasileira e que o mesmo acontece com a população gaúcha, considerada referência na qualidade de vida na longevidade. Diante desta realidade, a coordenadora da Comissão Científica do Idoso, Suzete Carbonell Leal, selecionou temas especialmente ligados à atenção, promoção, prevenção e cuidados, tendo como protagonista a pessoa idosa.

Outra palestra internacional será feita pelo doutorando em Sociedade do Conhecimento, pela Universidade de Salamanca (Espanha), Luís Jacob, diretamente de Portugal, no Eixo 2, Educação e Cultura. O painel de Jacob se chama “Aprendizagem ao longo da vida: Cultura e Arte e Educação Continuada” e acontecerá no dia 27 de janeiro, das 10h30min às 12h.


Dentro do evento também serão abordadas temáticas relacionados à diversidade e à biodiversidade. Segundo a coordenadora, a escolha dos tópicos se baseou no anúncio da Agenda 2020/2030, por parte da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), que marca o início da Década do Envelhecimento Saudável.

“Trata-se de um passo importante para dar voz e visibilidade aos idosos em todo o mundo. Seguindo os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável ODS, destacamos os seguintes eixos centrais para o FSM Idoso 2021”, informou. De acordo ainda com Suzete, o principal objetivo do FSMPI é refletir e propor possibilidades de transformação e ressignificação do estilo de vida no sentido de construir uma sociedade da População Idosa mais justa, pacífica, inclusiva e intergeracional.


A coordenadora também explicou que este evento será mais um passo na caminhada para a 3ª Assembleia Mundial sobre Envelhecimento, da ONU, que irá ocorrer em 2022, “onde certamente, mais uma vez, o paradigma do envelhecimento deverá sofrer importantes atualizações, e aguardamos com esperança a possibilidade de apresentar a candidatura da cidade de Porto Alegre para sediar este honroso evento”.

© 2019 por "Grupo SBC de Comunicações". Portal de Divulgação.

AREA DE ADM